"/> Entrevista a Eduarda Ferreira - A ambição pelos grandes palcos


Entrevista a Eduarda Ferreira - A ambição pelos grandes palcos

A atleta já soma cinco internacionalizações e continua a trabalhar para voltar a chegar aos maiores palcos da modalidade.

Eduarda Ferreira é uma das atletas de referência da formação do clube, ainda junior, já vestiu as cores nacionais por cinco vezes e vários títulos nacionais no setor de saltos. A atleta tem mostrado muita perseverança perante os obstáculos e este ano voltou a sagrar-se campeã nacional junior. Estivemos à conversa com ela para perceber quais as suas perspetivas para o futuro e o que significa fazer parte de um projeto como o Juventude Vidigalense.

 

- Depois de uma época desportiva complicada em 2018/2019, este ano conseguiste chegar ao título nacional no triplo salto e bateste o teu recorde pessoal no salto em comprimento. Como te tens sentido?

Sinto-me bastante feliz com o que conquistei até agora, sobretudo depois das adversidades da época passada. O título de campeã e todos os recordes pessoais que já bati esta época de pista coberta têm sido um enorme incentivo para lutar pelos meus objetivos e têm-me ajudado a acreditar mais em mim, no meu trabalho e em todo o processo que tenho vindo a construir com a minha treinadora e toda a equipa técnica.

 

- Quais as tuas perspetivas para a época de ar livre?

Bom, partindo do princípio de que ainda haverá competições a nível regional e nacional, os meus objetivos continuam praticamente os mesmos: continuar a trabalhar e treinar para conquistar, principalmente, o título de Campeã Nacional de triplo salto também em pista ar livre e estabelecer novos recordes pessoais que reflitam o trabalho que tenho vindo a desenvolver.

 

- Principalmente na formação, o Juventude Vidigalense é um clube de referência a nível nacional. Na tua opinião, a que se deve esse sucesso?

Na minha opinião, o sucesso do JV deve-se ao grande investimento que o clube tem feito para melhorar a sua estrutura, quer a nível de formação de treinadores e atletas, quer em relação ao crescimento da equipa técnica e médica. Atualmente, todos os atletas têm à sua disposição ótimas condições de treino e mais e melhores materiais, que nos permitem potenciar ao máximo o nosso rendimento e tornam o clube numa referência nacional.

 

- Tendo em conta o contexto atual, tens conseguido manter o foco e motivação para o que resta da época?

É claro que o facto de passar o dia inteiro em casa torna ainda mais difícil estabelecer uma rotina que me permita conciliar a faculdade com o atletismo. No entanto, durante este período de quarentena, tenho aproveitado para treinar logo de manhã, de forma a ter mais disposição e mais energia para o treino e para as restantes tarefas do dia-a-dia. Apesar de ser difícil, tenho tentado esquecer o facto de não ter todos os recursos a que estou habituada (fisioterapia, ginásio, pista, etc.) e manter o foco nos meus objetivos para me motivar a treinar e reforçar sobretudo aspetos físicos mais débeis, que por vezes desvalorizo.

 

- Quais os teus objetivos para o futuro?

Tendo em conta o contexto atual, torna-se ainda mais difícil estabelecer grande objetivos a longo prazo. Este ano, ingressei no ensino superior e, neste momento, tento definir objetivos época a época, de forma a conciliar da melhor maneira as duas coisas. No entanto, a minha maior ambição no atletismo é voltar a estar presente em grandes competições internacionais e continuar a obter grandes marcas.

 

Um agradecimento à Eduarda pela sua disponibilidade e votos de uma boa época desportiva!



Parcerias Institucionais

Patrocinadores